Governo publica Medida Provisória para reduzir o rombo da Previdência Social

08 de julho de 2016 - Notícias de Direito Nacional
Segundo o advogado Eddie Parish esta regra não é novidade. Entenda

O Governo espera economizar cerca de 13,6 milhões e reduzir o rombo da Previdência Social com a Medida Provisória nº 739, publicada hoje no Diário Oficial da União (DOU), que altera a Lei 8.213/91 referente aos
benefícios previdenciários. A Medida Provisória prevê a possibilidade do INSS rever os benefícios por incapacidade concedidos judicialmente ou administrativamente.
 

Para o advogado Eddie Parish, mestre pela Universidade Federal da Bahia (Ufba) e sócio do escritório Parish & Zenandro Advocacia e Consultoria, esta regra não é novidade. "A regra que permite o INSS rever
a concessão do benefício de aposentadoria por invalidez concedido não é nova. O Decreto 3.048/1999 (Regulamento da Previdência Social) e as Instruções Normativas do INSS (normas internas da autarquia) já previam esta possibilidade. A diferença, entretanto, reside no tempo de monitoramento. Até então, este benefício deveria ser revisto a cada dois anos, ao passo que, agora, pode ser revisto a qualquer momento. A mesma reavaliação a qualquer momento, agora, está expressamente prevista para o auxílio-doença também",
esclarece o advogado.

Outra alteração trazida pela MP é a fixação de um prazo de cessação para os benefícios de auxílio-doença. "Pode-se dizer que a Medida Provisória institui uma alta médica padrão e programada, não condizente com a
complexidade de diagnóstico que caracteriza a medicina”, afirma Eddie.

“Estabelecer uma data projetada para o futuro em que o segurado esteja capaz para o trabalho, significa o mesmo dizer que toda moléstia acomete o ser humano da mesma maneira, sem observar as peculiaridades
de cada segurado”, completa.

De acordo com o advogado, “o segurado aposentado por invalidez poderá ser convocado a qualquer momento para avaliação das condições que ensejaram o afastamento ou a aposentadoria, concedida judicial ou administrativamente.” A MP também prevê um prazo de 120 dias para a interrupção automática do benefício concedido a partir de sua concessão ou reativação, caso o perito médico não tenha estabelecido outra data. No entanto, vale ressaltar que, na hipótese de o segurado não se sentir apto para o retorno ao trabalho, ele poderá requerer pedido de prorrogação nos quinze dias finais ao do prazo padrão estabelecido.

Fonte: Correio24horas
 
 


Notícias

10 de setembro de 2017

INSS convoca 61,6 mil aposentados baianos para nova perícia médica

A intenção é fazer um pente-fino nos benefícios concedidos.

Leia mais...

10 de setembro de 2017

Entenda as principais mudanças da reforma trabalhista

Publicada dia 14 de julho, a reforma altera mais de 100 pontos da Consolidação das Leis do Trabalho

Leia mais...

10 de setembro de 2017

Eleitor pode faltar ao trabalho para recadastrar biometria

Para não ter desconto no salário, funcionário deve solicitar no posto ou cartório da Justiça Eleitoral um atestado de comparecimento

Leia mais...

08 de julho de 2016

Governo publica Medida Provisória para reduzir o rombo da Previdência Social

Segundo o advogado Eddie Parish esta regra não é novidade. Entenda

Leia mais...