Agende seu atendimento

Autismo (TEA) em adultos: será possível se aposentar pelo INSS?

Autismo (TEA) em adultos: será possível se aposentar pelo INSS? – *Por Rodrigo Maciel

A princípio, segundo a ciência médica, o autismo (Transtorno do Espectro Autista- TEA) é um transtorno neurológico que pode comprometer a comunicação, as interações sociais ou o uso da imaginação, bem assim apresentar comportamentos restritivos e repetitivos. Nesse sentido, esta condição possui diferentes graus que norteiam a forma como a pessoa com TEA interage com o mundo do trabalho.

Pessoas com TEA podem planejar suas aposentadorias?

Sim! A Previdência Social tem como princípio basilar a contributividade e para pessoa segurada com TEA não é diferente, pois para ter direito a benefícios terão de contribuir como qualquer outro segurado.

Dessa forma, considerando a lei nº 12.764/2012 (Proteção dos Direitos da Pessoa com Transtorno do Espectro Autista) combinada com lei complementar nº 142/2013, é possível à pessoa com diagnóstico de Transtorno do Espectro Autista (TEA) que consegue exercer suas atividades de trabalho normalmente, ter direito à Aposentadoria Especial da Pessoa com Deficiência, por idade ou por tempo de contribuição, conforme requisitos abaixo:

 

Idade

Mulheres– 55 anos de idade mínima + 15 de tempo de contribuição

Homens– 60 anos de idade mínima + 15 anos de tempo de contribuição

 

Mulheres –  tempo de contribuição (TC)

Deficiência:

Leve- 28 TC

Moderada- 24 TC

Grave – 20 TC

 

Homens –  tempo de contribuição (TC)

Deficiência:

Leve- 33 TC

Moderada- 29 TC

Grave – 25 TC

 

E será necessária a submissão à perícia do INSS?

Além disso, será exigido para reconhecimento do direito ao LOAS que a renda familiar mensal dos integrantes da família que moram na mesma casa, seja menor do que 1/4 do salário mínimo vigente (por volta de R$ 353,00) por pessoa, atendendo ao critério de baixa renda.

Assim como, outros aspectos como as condições de moradia e gastos da família também podem ser observados no procedimento para se conseguir o benefício assistencial.

Quando o TEA requer afastamento do trabalhador: aposentadoria por invalidez ou auxílio-doença?

Similarmente, como qualquer trabalhador segurado do INSS, se a condição de saúde da pessoa com TEA o incapacite  para o trabalho, insurge o direito à Aposentadoria por Invalidez, caso a incapacidade seja permanente  e insuscetível de reabilitação. Por outro lado, na hipótese do afastamento ser temporário, fará jus ao auxílio por incapacidade temporária,  antes chamado de auxílio-doença. Para tanto, basta a comprovação da incapacidade e da carência de 12 meses de contribuição anteriores ao início da incapacidade, pela regra geral.

E se a Pessoa com TEA não trabalhar? Como irá se aposentar?

Neste caso, ela poderá contribuir para o INSS na condição de segurada facultativa. Mas, caso esteja em condição de vulnerabilidade  econômica, poderá se valer da proteção  da Assistência Social.

E qual é a proteção da Assistência Social? 

Já sabemos que, pela lei, o autista é equiparado à Pessoa com Deficiência (PcD) e por isso, pode ter direito ao benefício de prestação continuada (BPC-LOAS), no valor de 1 salário mínimo mensal.

Nesse caso, dois aspectos adicionais  serão avaliados: a condição que envolve a deficiência,  devendo ser comprovados os impedimentos de longo prazo; e a renda da família.

Para avaliação da deficiência, tem-se como norte a confirmação do Transtorno do Espectro Autista (TEA), via perícia do INSS, seu impacto no desempenho de atividade, e sua  restrição na participação social, bem como medição da incapacidade para o trabalho, caso haja.

Abril Azul: façamos a nossa parte

coração com quebra-cabe-cabeça homenageando TEA

Analogamente, em abril de cada ano é comemorado o ABRIL AZUL,  com vistas a conscientizar as pessoas sobre o autismo, assim como dar visibilidade ao Transtorno do Espectro Autista (TEA) em todo o mundo.

Já que, é importante  entendermos que o TEA não é uma doença. De maneira idêntica,  não é, necessariamente, um atestado de incapacidade para o trabalho. Porntanto, prova disso é a existência da modalidade de Aposentadoria da Pessoa com Deficiência,  em que, como qualquer Aposentadoria Programada, tem regras rígidas a serem cumpridas pelo trabalhador/contribuinte.

Então, fique atento e sempre busque ajuda especializada de um advogado, para que este possa analisar seu direito!

Clique aqui e conheça mais dicas do PZ!

 

NOSSOS ESCRITÓRIOS

  • Rua Frederico Simões, nº 153, Ed. Empresarial Orlando Gomes, 13º andar Caminho das Árvores | Salvador/BA • CEP 41820 774
  • Rua Barão do Rio Branco, n 882, Centro Médico Augusto Freitas, sala 601 – 6º andar. Centro, Feira de Santana CEP 44001-535
  • Rua Santa Bernadete, n 18, Ed. Empresarial Empório, sala 16. Centro (ao lado do Colégio Polivalente), Camaçari CEP 42800-035
  • Avenida Nilton Oliveira Santos, n 122, 1º andar – Centro (em cima da Caixa Econômica e em frente ao INSS), Santaluz CEP: 48.880-000
  • Av. Dr. Nelson Leal, n 170, 1ª andar. Centro (em frente ao INSS), Livramento de Nossa Senhora – CEP 46140-000
  • Prefeitura Avançada da Orla, Box 08, Estrada do Coco, Abrantes, Camaçari/BA
  • Rua Dr. Alfredo, n 88, Centro, Conceição da Feira. (Ao lado dos Correios e da loja de Nil Bazar). CEP: 44320-000.
  • Praça Barão do Rio Branco, n 67, Loja 5. (na Galeria da Caixa Econômica Federal), Queimadas CEP: 48.860-000
  • Praça JJ Seabra, n 11, 1º andar, Sala 03, Centro, (Em cima da Distak Móveis e em frente ao mercado Lider), São Gonçalo CEP 44330-000.
  • Rua Mané Garrincha, s/n, Centro. Referência: Próximo a Igreja Católica e ao lado do Cartório de Registro Civis. CEP:48750-000.